Inteligência Artificial Aplicada

A área de Inteligência Artificial é uma das que mais crescem, tanto pela velocidade de pesquisa como pela demanda de empresas em seus negócios. Todos os setores da economia são ou serão impactados pelas aplicações baseadas em Inteligência Artificial, criando um mercado inovação e competição muito rico.

Assim, este curso visa formar profissionais capacitados a planejar, conduzir, construir e validar soluções baseadas em inteligência artificial.

Área de conhecimento no CNPq: Computação
Titulação: Especialista em Inteligência Artificial Aplicada
Nível: Especialização Lato Sensu

Objetivos:
Capacitar o aluno na área de Inteligência Artificial Aplicada aos negócios, tornando-o um ativo estratégico para as organizações.

Objetivos Específicos:
• Apresentar a área de Inteligência Artificial (IA);
• Capacitar o aluno a tratar dados de uma forma consciente para uso da IA;
• Aplicar técnicas de IA para análise de dados;
• Capacitar o aluno em arquitetura de dados;
• Desenvolver a capacidade de discernir sobre técnicas de IA;
• Apresentar frameworks atuais para aplicação de IA;
• Transmitir conhecimentos sobre a utilização de modelos, técnicas e ferramentas no âmbito da IA;
• Conhecer as práticas mais recentes relacionadas a IA, bem como inovações;
• Favorecer o empreendedorismo;
• Criar um ambiente de trabalho, suportado com atividades práticas, que permita o desenvolvimento de capacidades de comunicação e trabalho em grupo;
Aplicar os conhecimentos adquiridos na resolução de casos práticos.

Público-alvo:
Profissionais da área de Informática, com ou sem experiência no mercado de trabalho e com formação em qualquer curso da área de Ciências Exatas e Tecnologia.

Vagas:
50 vagas, das quais 5 (cinco) vagas serão sem custo ao aluno e se destinam à funcionários e professores da UFPR.

Histórico e Justificativa

O Setor de Educação Profissional e Tecnológica da UFPR é uma das Unidades Acadêmicas da Universidade Federal do Paraná, funcionando com este status desde 1998.

O Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas está sendo ofertado desde 2001, com o nome de Curso de Graduação em Tecnologia em Informática nos períodos vespertino e noturno.

Em 2004, o Curso foi submetido à avaliação do Ministério da Educação (MEC), e recebeu a autorização para funcionar sob avaliação “A”, e ainda a recomendação por parte dos avaliadores para a mudança do nome do Curso para Curso Superior de Tecnologia em Sistemas de Informação. Em 2009, para atender uma orientação do catálogo de cursos do MEC, o curso passou a se chamar Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas.

A Portaria Nº 4257, publicada no Diário Oficial da União de 21 de Dezembro de 2004, reconhece a regularidade do Curso Tecnologia em Informática da Universidade Federal do Paraná.

Esta modalidade de curso com ênfase na formação tecnológica e de curta duração, 3 (três) anos, passou a existir a partir da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) 9394/96, que visa a formação profissional em uma área específica.

O ingresso dos alunos no Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas da UFPR segue o mesmo protocolo dos demais candidatos de outros cursos Superiores, ou seja, ele passa pelo processo seletivo, realizando as provas de conhecimentos gerais e específicos. O currículo desta modalidade de ensino está organizado de acordo com as necessidades do mundo do trabalho, por isso prepara o aluno para a atuação imediata, até mesmo durante o processo de formação acadêmica.

O aluno do curso de Tecnologia é diplomado com o grau de Nível Superior, podendo ingressar em cursos de Pós-Graduação como Especialização, Mestrado e Doutorado, conforme Legislação Básica da Educação Profissional e Tecnológica.

Percebe-se várias tendências de mercado voltadas ao uso de técnicas de Inteligência Artificial (IA) aplicadas a processos de negócio e, também, geração de novos negócios. Muitas pesquisas de mercado são feitas, baseados no atual cenário de manipulação de dados e novas necessidades. Recentemente o portal IGNow (http://idgnow.com.br/ti-pessoal/2018/04/25/o-que-esperar-para-o-futuro-da-inteligencia-artificial/) cita o Relatório de Tendências de Tecnologia do Future Today Institute, de 2018, que nem considera mais a IA como tendência, mas sim como tecnologia prevista como sendo a próxima era da computação.

A professora Adriana Cristina Ferreira Caldana, da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (Fearp) da USP afirma que a Indústria 4.0 está levando a uma automação da inteligência, das capacidades cognitivas (https://jornal.usp.br/atualidades/inteligencia-artificial-vai-impactar-o-mercado-de-trabalho/).

Segundo a IBM (http://datascienceacademy.com.br/blog/previsao-da-ibm-demanda-por-cientistas-de-dados-aumentara-28-ate-2020/) a demanda por Cientistas de Dados deve crescer em 28% até 2020, sendo que estas posições exigem conhecimentos sólidos e integrados na área de IA aplicada.

O portal de inteligência PLUGAR (http://www.plugar.com.br/o-impacto-da-inteligencia-artificial-nas-praticas-de-inteligencia-de-mercado/) apresenta que a IA está mudando a forma com a qual as empresas estão interagindo com os consumidores e, assim, é preciso não só obter dados provenientes dos negócios das empresas, mas também contextualizar e trabalhar a informação para que se agregue valor.

Isto posto, percebe-se que o mercado de trabalho está cada vez mais necessitando de profissionais capacitados na área de IA como um todo. Não basta uma capacitação direcionada em algum subconjunto da IA, mas deve-se prover conhecimentos interligados para que este profissional seja capaz de discernir e aplicar melhores técnicas e processos ao negócio.